Saiba a importância de levar seu bebê ao dentista

Muitos pais e mães têm dúvidas sobre quando levar o filho pela primeira vez a uma consulta odontológica. Há crianças que, pelo fato de nunca terem sentido dor ou indício de cárie, jamais foram levadas ao dentista. Essa é uma falha que pode refletir na saúde bucal durante a infância e até se estender à vida adulta.aqui-tem-odontopediatria-saiba-a-importancia

Normalmente é com seis meses de vida que surgem os primeiros dentinhos no bebê, por isso, é nessa fase que a mãe deve dirigir-se a uma clínica e procurar por um odontopediatra – profissional especializado em odontologia infantil. Nessa visita, os pais recebem orientação sobre dieta, higiene, aplicação de flúor, uso adequado de mamadeira e chupeta e também correção de maus hábitos, como chupar o dedo.

Um problema que deve ser conhecido por todos os pais e mães são as “cáries de mamadeiras”. Elas são manchas que surgem ainda nos dentes de leite e são causadas pelo acúmulo de resíduos (leite materno ou não, mel e suco de laranja em excesso) na dentição infantil. A falta de higienização adequada facilita o surgimento desse tipo de cárie, que evolui rapidamente e deixa os dentinhos dos pequenos sensíveis.

Quando as crianças começam a dar os primeiros passinhos (entre os 10 e 24 meses de idade) elas ficam expostas a um sério risco: a queda seguida do traumatismo dental, que pode trazer consequências graves à formação dos dentes permanentes. Ainda que a lesão pareça leve, caso o trauma venha a ocorrer, a criança deve ser levada ao dentista o quanto antes, pois se não avaliado e tratado, o dente pode escurecer e apresentar trincas.

Cuidados em casa

1 – Recém-nascidos devem ter a limpeza oral feita com uma gaze ou fralda umedecida em água filtrada. Esse cuidado deve ser realizado apenas uma vez ao dia, pois estudos comprovam que resíduos do leite materno e a própria saliva do bebê têm papel protetor.

2 – A partir dos seis meses (os quando surgirem os primeiros dentes) a higienização pode ser feita com a escova de cerdas macias e creme dental sem flúor.

3 – Se o bebê utilizar mamadeira opte por bicos ortodônticos. Dessa forma, não prejudicará a formação dos dentes.

4 – Tenha sempre o telefone do odontopediatra em mãos. Criança nunca tem hora ou lugar para cair.

5 – Caso a saúde bucal esteja em dia, recomenda-se que a criança visite o dentista duas vezes ao ano.

Se o seu filho tem problemas em cuidar dos dentes ou tem medo de ir ao dentista, conte a ele a lenda da “fada dos dentes”. Essa é uma forma de incentivá-lo a querer sempre estar com a boca saudável, esperando pelo dia em que será presenteado por ter protegido tão bem os seus dentes de leite.

Via DM

Bebês: cisto, cáries e traumas são doenças mais comuns

Segundo Cristina Zardetto, professora do curso de especialização em Odontopediatria da FUNDECTO, os principais motivos que levam uma mãe ao consultório do dentista com seu filho são: cáries, traumas, cistos gengivais do recém-nascido, cistos de erupção e preocupação com a posição de nascimento dos primeiros dentes da criança.

aqui-tem-odontopediatria-bebes

“Embora tenha diminuído muito a incidência de cárie, ela ainda é um dos principais problemas bucais dos bebês. Porém, quando acontece é por questões totalmente comportamentais, ou seja, ou por falta de orientação da mãe quanto à higiene bucal da criança, sua alimentação ou uso correto da mamadeira”, diz a especialista.

Traumas e cortes

Traumas nos dentes e cortes nos lábios também são bastante comuns nessa idade (até os 3 anos). “É nessa fase que eles começam a andar e vira e mexe estão com algum objeto nas mãos e aí quando caem podem quebrar os dentes ou cortar os lábios ou as gengivas. Nessa fase eles também têm mania de colocar qualquer objeto na boca e, dependendo do que eles mordem ou do tombo que levam, podem até causar mobilidade dental”, diz Cristina.

Dentes tortos e cistos

Outro motivo bem comum que faz com que as mães levem seus bebês ao dentista é a preocupação com o nascimento ‘errado’ dos primeiros dentinhos de seus filhos. “Nesses casos, na maioria das vezes, os grandes vilões são os hábitos de sucção como chupar o dedo, chupeta e tomar mamadeira”, diz Cristina.

Cisto de erupção, que é quando um dente está para nascer e a gengiva fica bastante inchada e dolorida, também é um problema que preocupa bastante as mães. “Nesses casos só nos resta esperar o dente nascer. Somente em algumas situações, quando a criança para de comer ou fica muito irritada, é recomendada uma pequena intervenção cirúrgica na gengiva”, diz a especialista.

Já quando a criança é bem pequena (meses de vida), um dos problemas bucais mais comuns é o cisto gengival do recém-nascido. “São nódulos esbranquiçados e bem duros que aparecem na gengiva se assemelhando a dentes nascendo, e é por isso que as mães nos procuram. Mais de 50% dos recém-nascidos apresentam esse problema. Porém, esse cisto não incomoda a criança e depois de três meses desaparece sozinho”, diz Cristina.

Prevenção

Porém, segundo a especialista, o que tem aumentado muito nos últimos anos é a procura dos odontopediatras para a prevenção da saúde bucal dos bebês. “As mães estão cada dia mais interessadas em como higienizar corretamente a boca da criança nessa fase ou saber como proceder quando o dente está nascendo. Aí nós já aproveitamos e damos instruções sobre o uso correto da chupeta e da mamadeira prevenindo ainda mais as complicações bucais”, diz a especialista.

Via Olhar Direto