Mordida cruzada pode causar bruxismo e perda dos dentes

A mordida cruzada é um problema bastante comum que acontece quando a arcada de cima não se encaixa direito com a de baixo. Alessandro Silva, cirurgião buco-maxilo-facial, compara a maxila (parte de cima) e a mandíbula (parte de baixo) com a tampa e a caixa, ou seja, o arco superior deve ser maior do que o inferior. “Quando há uma mordida cruzada, há uma inversão nessa relação e os dentes do arco inferior acabam se posicionando mais para fora do que os do arco superior”, diz.

Ainda segundo o especialista, esse quadro pode ser causado por problemas dentários ou esqueléticos. “Quando a mordida cruzada se dá por causa de dentes que cresceram tortos e estão se posicionando fora da arcada, classificamos como um problema dentário. Quando a causa está no osso maxilar que se desenvolveu pouco e acabou ficando menor do que deveria, chamamos de problema esquelético”, diz Alessandro.

Embora normalmente tenha origem genética, a mordida cruzada pode ser agravada por hábitos inadequados, como chupar o dedo ou fazer o uso prolongado da chupeta e da mamadeira. Esse tipo de mordida pode prejudicar o desenvolvimento facial, a fonação, a mastigação e a respiração da criança. Por isso, o ideal é que ele seja diagnosticado e tratado antes dos 15 anos para evitar agravamentos do quadro na fase adulta, principalmente no caso dos problemas esqueléticos.

“Na fase infantil, o osso ainda está em desenvolvimento e aparelhos ortopédicos vão funcionar estimulando o crescimento da maxila para que ela assuma uma relação adequada entre os arcos”, diz o especialista. No caso dos problemas dentários, o tratamento ideal é o ortodôntico. E, apesar de ele poder ser aplicado em qualquer idade, os especialistas também recomendam que esse procedimento seja feito bem cedo para aproveitar a fase de desenvolvimento facial e do crânio. “Mas se a magnitude da discrepância entre os arcos for muito grande, só será possível o tratamento cirúrgico”, diz Alessandro.

Bruxismo e perda dos dentes
Se a mordida cruzada não é tratada na fase infantil, os problemas que um adulto poderá desenvolver são ainda mais sérios. “Caso perdure essa relação inversa, o paciente pode apresentar bruxismo, fratura ou até perda dos dentes, retração gengival e sobrecarga da articulação da boca podem causar sua deterioração” diz Alessandro.   Por isso que, assim que o problema for detectado, o tratamento deve ser iniciado com um profissional capacitado para resolver o problema, o ortodontista.

Via Terra

Anúncios

Gengiva saudável não sangra!

aqui-tem-odontologia--gengiva-saudavel
Se a sua gengiva sangra ao escovar ou ao passar o fio dental, cuidado ela já está inflamada. O nome disso é gengivite. É muito importante  dar  atenção a esse sinal. Muitos pacientes acreditam que estão se machucando com o fio  quando isso ocorre, e que esta é a causa do sangramento . Mas este é um equívoco.
Para diagnosticarmos a inflamação, é importante conhecermos as características de uma gengiva saudável: coloração rosa com ou sem pigmentos de natureza étnica  (manchas escuras na gengiva encontradas principalmente em pessoas de raça negra, asiática e seus descendentes), aspecto de “casca de laranja”, contorno uniforme nos dentes, sem nenhum tipo de inchaço e muito menos sangramento.
Muitos pacientes relatam que pararam de passar o fio dental, pois possuem a “gengiva sensível” e acabam se machucando. Na realidade, a gengiva só está sangrando porque o fio dental não é passado diariamente com a técnica correta. É um círculo vicioso: não passam o fio porque está sangrando, mas está sangrando porque não passam o fio .
Para que todos possam entender melhor o que é a gengivite, é importante conhecer também um pouco sobre o sulco gengival. Este  é um espaço anatômico entre o dente e a gengiva, de 2 a 3 mm de profundidade, situado em volta de cada dente. Dentro desse pequeno espaço a placa bacteriana (película formada por restos de alimentos e bactérias que residem em nossa boca) se instala e provoca uma inflamação local, devido a sua proliferação e liberação de ácidos.
 Então, para evitar a gengivite, é muito fácil. Basta escovar os dentes e passar o fio dental diariamente, sempre com a técnica que permite que  as pontas das cerdas da escova dental e o fio  entrem naquele sulco gengival.
Como passar o fio dental corretamente:
– Pegue aproximadamente 50 cm de fio ou fita dental;
– Coloque entre dois dentes e leve até o sulco gengival (isso mesmo, pode coloca r lá dentro entre o dente e a gengiva);
– Abrace um dente com o fio dental e deslize pela sua lateral ;
– Entre com o fio dental novamente entre os mesmos dentes e, leve-o  até o sulco gengival. Mas desta vez abrace o outro dente e deslize o fio pela sua lateral.
– Repita o mesmo procedimento em todos os dentes.
– Procure sempre a ajuda de seu dentista para mais detalhes e para realizar uma consulta preventiva a cada seis meses.
Lembre-se sempre que, se a gengiva sangrar ao passar o fio dental, já existe uma inflamação e o início de seu tratamento é feito em casa mesmo. Não abandone o hábito de passar  diariamente o fio dental!. Após cerca de  cinco  dias, esse sangramento deverá parar ou pelo menos diminuir, pois você estará removendo a placa bacteriana que é a causadora principal desse sangramento. O que temos que ter sempre em mente é que  “gengiva saudável não sangra”.
Como está a sua gengiva? Agora que você já tem conhecimento de como mantê-la saudável, é só começar!
Via Odontoprev